segunda-feira, 1 de agosto de 2022

“SOULA” DO ARGELINO ISSAAD SALAH VENCE O 26º FESTIVAL DE CINEMA AVANCA 2022

“Soula” é o grande vencedor do “26º Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia – AVANCA 2022”, encerrando os 10 dias de um festival de cinema que comemorou um quarto de século de cinema do mundo.

Realizado pelo argelino Issaad Salah, este filme ganhou o Prémio Cinema para a Melhor Longa Metragem e o Prémio Melhor Fotografia (Arthur Fanget).

Neste filme, Soula, uma jovem mãe solteira, é rejeitada pela família. Sem casa, numa longa noite, ao longo das estradas infindáveis e numa espiral de encontros infelizes mas deslumbrantes.

Foram ainda distinguidas com Menções Especiais as longas–metragens “Make-Believers” de Kenjo McCurtain (Japão) e “Viagens em Cabeças Estrangeiras” de António Amaral (França), que também recebeu o prémio de melhor realizador. Aos atores deste filme francês, foram atribuídos ainda o Prémio para o Melhor Ator a Julien Darney e uma Menção Especial a Amine Benrachid.


O Prémio Curta Metragem foi para o filme “Toutes les Nuits” de Latifa Said (França), que foi igualmente distinguido com o Prémio de Melhor Argumento. A curta metragem “Without You” do cineasta italiano Sergio Falchi recebeu uma Menção Especial.

A curta metragem de Espanha “Sorda”, de Eva Libertad e Nuria Munoz, foi distinguida com o Prémio Melhor Som e Melhor Atriz (Miriam Garlo).

O Prémio de animação foi atribuído a “Aquamation” de Ho-yueh Chen (Taiwan).

O júri cinema foi presidido por Ana Pires, tendo integrado Golam Rabbany Biplob (Bangladesh), Christine Boghemans (Bélgica), Gérald Canivet (Bélgica) e Cristina Cavalcanti (Brasil).

O filme “Soula” de Salah Issaad (Argélia) e a curta metragem “Sorda” de Nuria Muños e Eva Libertad (Espanha), foram também os vencedores do Prémio D. Quixote da FICC – Federação Internacional de Cineclubes, de que foi júri Hasan Mahmud (Bangladeche) e Pedro Medeiros.

O Prémio Estreia Mundial Longa Metragem foi atribuído a “José Luís Espinosa – o espião” de Alfonso Palazon (Portugal), pelo júri constituído pelos cineastas Francisco Ávila, Luís Diogo e Luís Moya. 


“José Luís Espinosa – o espião” de Alfonso Palazón, recebeu também o Prémio Competição Avanca e o Prémio Estreia Mundial foi atribuído a “A Espuma e o Leão” de Cláudio Jordão. A curta metragem de animação “Purgatory Airlines”, realizado por alunos da Escola Monsenhor Miguel de Oliveira de Válega e com alunos de outras escolas europeias numa coordenação de João Católico, recebeu uma Menção Especial. O júri foi constituído pelo crítico de cinema Germano Campos, por Helena Batista da Academia Portuguesa de Cinema e a atriz Maria João Mata.

O prémio vídeo foi atribuído a “Um narrador” de Miguel Seixas (Portugal) e o vídeo “Transparent, I am”de Yuri Muraoka (Japão) recebeu uma Menção Especial. O Prémio Vídeo Estreia Mundial foi atribuído a “Once I passed” de Martin Gerigk (Alemanha). O júri deste prémio foi constituído pela investigadora Mariana Bento Lopes, pelo crítico Nuno Reis e pelo cineasta Rui Filipe Torres.

O documentário “NTURUDU – Um carnaval sem máscara" de Arlindo Camacho (Portugal) venceu o Prémio Televisão e “No país de Alice” de Rui Simões (Portugal) e “Espejismos” de Alfonso Palazon (Espanha), Menções Especiais. O Prémio Estreia Mundial Televisão foi atribuído a “Homebound” de Ismail Fahmi Lubis (Indonésia). O júri foi constituído pelo fotógrafo Mike Haydon (Reino Unido), pelo poeta António Souto, pelos jornalistas Fernando Pinho, Manuel Freire,  Manuel Vitorino e Sara Silva, pelo ator Carlos Rico, pelo pintor Henrique Vaz Duarte e pelo investigador Paulo Miguel Martins.

Pela primeira vez no AVANCA, a competição Séries de Televisão distinguiu a série “Arthur (second season)” de Nick Rusconi (Suíça), tendo o júri deixado uma nota de incentivo para “A colônia luxemburguesa” de Dominique Santana (Luxemburgo). O júri foi constituído pelo realizador Rui Nunes, a programadora Fátima Cabral e a investigadora brasileira  Inês Argôlo.

O filme “Rapariga com um espelho” de Nuno Dias foi distinguido com o Prémio <30, destinado a realizadores com menos de 30 anos. O júri foi constituído pelos cineastas Bernardo Cabral e Manuel Paula Dias.

O filme de animação “O Antiquário” de Manuel Matos Barbosa foi distinguido com o Prémio Sénior, atribuído pela investigadora Cláudia Martins e pelo realizador Rui Nunes.

A competição “Trailer in Motion” distinguiu o trailer “A Espuma e o Leão” de Cláudio Jordão (Portugal) e o videoclipe “Flow my Tears” de Henrique Vilão, Tiago Damas e Luís Ales (Reino Unido). 

O júri, constituído pelo músico Sérgio Ferreira e a investigadora Liliana Rosa, atribuiu ainda Menções Especiais ao trailer “Dead Line” de Diego Leanza e Sofia Szelske (Argentina) e ao vídeo clip “Haus” de Tine Kluth (Alemanha, Reino Unido).

No AVANCA 2022 tiveram estreia mundial 30 filmes e foram exibidos 135 obras ao longo de todo o evento.

Entretanto, na “AVANCA|CINEMA, Conferência Internacional Cinema – Arte, Tecnologia, Comunicação”, o Prémio Eng. Fernando Gonçalves Lavrador, em homenagem póstuma a um dos mais relevantes investigadores portugueses na área da semiótica, estética e teoria do cinema, distinguiu a investigadora Katrin Pieper da Universidade de Coimbra com a comunicação “Filmes cortados e legendas manipuladas - A censura de filmes estrangeiros durante o Estado Novo”

O júri deste prémio foi constituído pelos académicos Anabela Branco de Oliveira (UTAD, Portugal), Beatriz Legerén (Universidade de Vigo), Filipe Muanis (UTAD, Portugal), Glória Moreno (Universidad Rey Juan Carlos, Espanha), José Ribeiro (ID+) e Petra Dominkova (FAMU, República Checa).

No total, 11 júris constituídos por 39 individualidades de 7 países atribuíram 22 prémios e 11 menções especiais.

O AVANCA acontece todos os anos em Avanca e é uma organização do Cine-Clube de Avanca e do Município de Estarreja com o apoio do ICA/Ministério da Cultura, Instituto Português do Desporto e da Juventude, Turismo Centro, Junta de Freguesia e Paróquia de Avanca, Agrupamento de Escolas de Estarreja, para além de várias organizações internacionais e entidades locais.

segunda-feira, 25 de julho de 2022

ANIMAÇÃO PORTUGUESA NA ABERTURA DO 26º FESTIVAL DE CINEMA DE AVANCA

Comemoração de um quarto de século do festival junta homenageados.

O 26º AVANCA Festival Internacional de Cinema, inicia-se na quarta-feira dia 27 pelas 21h45 no Auditório Paroquial de Avanca, com homenagens comemorativas dos 25 anos do festival e a entrega dos prémios do ano passado.

Marcando a primeira noite competitiva, dois dos cineastas mais representativos do cinema de animação português fazem a estreia mundial dos seus novos filmes no AVANCA.

Manuel Matos Barbosa, o decano da animação portuguesa recentemente distinguido pela Academia Portuguesa de Cinema, estreia o seu novo filme “O Antiquário”. Baseado numa obra de Fialho de Almeida, com o desenho peculiar e atento do autor, o filme conta com a música de Joaquim Pavão e a voz inconfundível do ator Ruy de Carvalho.

“A Espuma e o Leão” é o novo filme de Cláudio Jordão, um dos autores mais premiados do cinema português de animação. Um olhar para a brava travessia de Olhão ao Rio de Janeiro de 18 destemidos marinheiros que em julho de 1808 levaram a notícia de Portugal livre à corte portuguesa refugiada em terras de Santa Cruz. Num inesperado e digital painel de azulejos, toda a animação 3D marca a intrépida viagem do pequeno caíque algarvio. Um filme que há mais de 10 anos o autor procurava realizar.


A noite de abertura é marcada pela homenagem a quem tornou possível, ano após ano, a realização deste festival. Um momento para agraciar vários dos inestimáveis apoios da proximidade.

O primeiro dia do Festival é ainda marcado pelo início da Conferência AVANCA | CINEMA, no Espaço Multimeios da Escola Egas Moniz. Pelas 17h30, o livro “Cento e Quarenta Anos do Teatro Aveirense” será apresentado pelo seu coordenador José Pina, seguindo-se uma mesa sobre cinema e média-arte pelo CIAC - Centro de Investigação em Arte e Comunicação. Ao longo de 4 dias serão apresentadas 120 comunicações, reunindo investigadores dos 5 continentes que trabalham temáticas à volta do cinema. 

Sob o signo dos DESLOCADOS, o Festival de Cinema de Avanca terá no dia seguinte vários pontos altos

“O Império do Silêncio” do realizador belga Thierry Michel, que será exibido às 14h30, é um relato aprofundado de dois assassinatos ocorridos na República Democrática do Congo em março de 2017.

Pelas 18h15 será exibida a última obra de André Valentim Almeida, o documentário “Famille F. C.” que aborda os clubes de futebol das comunidades portuguesas à volta de Paris.

A noite será marcada pela exibição às 21h30 do filme em estreia mundial “Viagens em Cabeças Estrangeiras” do realizador luso francês António Amaral, que estará presente conjuntamente com o ator Julien Darney, apresentando o filme. Nesta obra, três extraterrestres vivem nos corpos de humanos. Os três devem voltar ao seu planeta, mas um deles recusa-se a sair do corpo de um ativista do Mali que está a trabalhar na organização de uma grande manifestação de rua pelos direitos trabalhistas dos migrantes.

Terminando a noite, será ainda exibida “Toutes les nuits”, a última obra da realizada Latifa Said, cuja filmografia sempre se envolve com DESLOCADOS.

Estando previsto a exibição de 30 estreias mundiais, num total de cerca de 130 filmes, entre longas e curtas metragens, o 26º AVANCA decorre até 31 de julho no Auditório Paroquial de Avanca e no Cinema Vida em Ovar.

Organizado pelo Cine Clube de Avanca e pelo Município de Estarreja, o AVANCA tem apoio do ICA / MC, IPDJ, Turismo Centro, Junta de Freguesia de Avanca, Agrupamento Escolar de Estarreja,  Paróquia e das associações de Avanca, contando ainda com o apoio de várias universidades e escolas de ensino superior do país, empresas e outras instituições da região.

domingo, 17 de julho de 2022

FILME-CONCERTO "DENTRE" DE JOAQUIM PAVÃO, NO PRIMEIRO DIA DO FESTIVAL DE CINEMA AVANCA.

O Cine Teatro de Estarreja recebe este sábado dia 22, pelas  21h30, o filme-concerto "DENTRE", o novo projeto do realizador e compositor Joaquim Pavão, marcando o primeiro dia do 26º Festival Internacional de Cinema AVANCA 2022.

DENTRE apresenta-se em formato cine concerto. Um diálogo entre três músicos e um registo cinematográfico. Joaquim Pavão, realizador e guitarrista, Xavier Marques diretor de som e  sintetizador, e Isabel Pinto atriz e coargumentista, interpretam a banda sonora deste novo filme em produção.

O filme aborda a questão da violência, não na sua dimensão física, mas uma violência psicológica e emocional latente num dia-a-dia. Como nos explica o realizador, "é um filme que tenta mostrar o indivíduo na sua condição de pessoa que cumpre a pena do juízo dos outros. Vivemos numa sociedade "para fora" e esta sociedade impõe regras -que são aceites por todos- e ninguém discute a violência destas ideias". Como exemplo, Joaquim Pavão fala-nos de um certo alheamento perante os desafios da realidade; por forma a garantir a vivência em sociedade ou o sofrimento auto infligido à frente do desfasamento entre aspirações e realidade, mesmo se em virtude de pormenores aparentemente insignificantes.

São personagens do quotidiano que se atravessam no olhar. Lugares-comuns para a farsa como subversão. O filme aporta todas as virtudes a que o realizador já nos habituou: uma busca incessante por um olhar atípico, uma cinematografia dura e fascinante. Não obstante, Joaquim Pavão espera “que quem se sente a vê-lo diga, esta personagem sou eu, mas aquela também sou eu, e aquela também sou eu... e eu faço parte deste conjunto".

O crítico de cinema Rui Pedro Tendinha, descreve DENTRE como "uma experiência que literalmente nos tira o tapete dos pés".

DENTRE, cuja versão cinematográfica final está projetada para 2024, foi em parte rodado durante o último festival AVANCAe vai continuara a ser rodado durante o festival de cinema deste ano.

O cine-concerto a que Estarreja irá assistir será a primeira versão do filme-Concerto; uma vez que a cada apresentação se exibem novos trechos de um filme que está paralelamente em rodagem e edição, com diferentes abordagens musicais.  É no encontro entre músicos, projeção e público que se faz a prova dos materiais e se apura a forma daquele que será o objeto artístico final, a versão cinematográfica.

No elenco cinematográfico aparecem os atores nacionais e internacionais: Ângelo Castanheira, Constança Carvalho Homem, Eunice Correia, Igor Daniel, João Pamplona, Maria Gabi, Marta Bonito, Anouck Voisin, Aurora Campagnolo, Alvaro Lopez-Puigcerver Soler, Catherine Oliveira, Céline Manivel, Daria Kononenko, Dourthe Lucas, Dorotea Cicconcelli, Emma Roussel, Etienne Caillon, Francesco Stefanutti, Giuliano Arrighi, Irene Gómez Gràcia, Juliette Bousquet, Julia Poreba, Laura Barbosa Añón, Laia Serra Nicolas, Lídia Oms Riera, Liliana Santos, Léa Schweitzer, Michela Cerro, Marta Ortín López, Marco Russano, Marta Viani, Miguel Almeida, Sofia Esposito, Sofie Hulcová, Paula Alcobendas Bruno, Victor Aragones, Vítek Seidler e Zuzana Miková.

DENTRE é um cine-concerto classificado como M/16 e os bilhetes podem já ser reservados na bilheteira do Cine Teatro de Estarreja.

O Festival de Cinema AVANCA, que este ano decorre sob o signo dos DESLOCADOS, é uma organização do Cine Clube de Avanca, do Município de Estarreja e conta com o apoio do ICA / Ministério da Cultura, IPDJ, Turismo Centro, Junta de Freguesia, Paróquia e Associações de Avanca, Agrupamento de Escolas de Estarreja e diversos apoios de entidades e empresas da região.

terça-feira, 12 de julho de 2022

CINEMA E ESCOLA - AÇÕES DE FORMAÇÃO DE CURTA DURAÇÃO NO AVANCA 2022


O 26º AVANCA – Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia promove no espaço da Escola Egas Moniz em Avanca, duas formações de curta duração.

O encontro dos espaços da ESCOLA e do CINEMA tem sido crescente e gratificante.

A docência e a criação precisam desta inevitável parceria.

CINEMA E ESCOLA é um espaço de formação sob orientação de Graça Lobo, um ícone nestas áreas de encontro.

As ações são reconhecidas e certificadas para progressão de carreira de todos os docentes do Ensino Básico e Secundário, pelo Centro de Formação da Associação para Formação ATEXXI.


As ações decorrem nos dias:

Dia 28 de julho (10h - 13h)

O cinema de animação na Escola (Ação 01).

Dia 29 de julho (10h - 13h)

Por dentro do filme “O garoto de Charlot” (Ação 02).

Ambas as formações serão orientadas por Graça Lobo e têm a coordenação de Isa Catarina Mateus.


AÇÃO 01

O cinema de animação na Escola

A valorização do cinema enquanto Arte, junto das escolas e da comunidade, levanta necessidades de formação de base que se centram principalmente nas abordagens metodológicas que são levadas a efeito.

Esta ação irá focar-se em excertos de filmes e curtas metragens de animação, sendo feita uma análise temática, formal e interdisciplinar.

Serão dadas pistas de trabalho para lidar o cinema de animação em sala de aula.


OBJETIVOS

Conhecer instrumentos de pré-cinema e a ilusão do movimento;

Identificar Técnicas de cinema de animação;

Reconhecer o conceito de autor;

Descodificar a imagem fílmica como veículo de significados;

Promover uma abordagem interdisciplinar do filme.


CONTEÚDOS

A Linguagem do Cinema.

O Pré-Cinema.

O Cinema de animação.

O filme como objeto interdisciplinar.

O cinema e a intertextualidade.


AÇÃO 02

Por dentro do filme “O garoto de Charlot”

O Garoto de Charlot, de Charles Chaplin é uma referência universal na História do Cinema. Teve a sua estreia há um século (Nova Iorque, 1921).

Sendo um modelo dos valores e das potencialidades da narrativa melodramática, este filme potencia a discussão de temas como o abandono das crianças e a dificuldade de sobrevivência.

Sendo um filme intemporal, é também um filme que se adequa a todas as faixas etárias. Tendo, naturalmente, em conta as diferentes possibilidades de exploração.


OBJETIVOS

Adquirir conhecimentos sobre História, Estética e Linguagem do Cinema;

Analisar e interpretar uma obra fílmica;

Promover a contextualização das obras;

Reconhecer intertextualidades;

Desenvolver estratégias de aplicação dos conteúdos específicos de cada disciplina;

Incentivar a abordagem ao cinema como uma mais valia de conhecimento;

Aprofundar a reflexão crítica.


CONTEÚDOS

O filme como objeto interdisciplinar.

Os Primórdios do Cinema.

Cinema Mudo.

Autor.

Narrativa/Narrativa visual.

Linguagem do cinema.

Banda sonora.


Na equipa de formação e coordenação estão:

Graça Lobo foi Coordenadora do Grupo de Projeto do Plano Nacional de Cinema, nos anos de 2012 a 2014. É coautora e coordenadora do Programa JCE - Juventude/Cinema/Escola da Direção Regional de Educação do Algarve desde 1997/98.

Tendo sido docente dos ensinos Básico, Secundário e Universitário, tem coordenado várias publicações e formações na área do cinema.

É Cineclubista desde 1980 e presta funções na Direção Regional de Cultura do Algarve na área dos serviços educativos, desde 2019.

Isa Catarina Mateus é responsável pelo grupo “Cine-education” da FICC - International Federation of Film Societies e Vice-Presidente da FPCC – Federação Portuguesa de Cineclubes.

A inscrição pode ser feita no site https://avanca.com

domingo, 3 de julho de 2022

FESTIVAL DE CINEMA DE AVANCA SOB O SIGNO DOS “DESLOCADOS”

Filme de mais de 4 horas, rodado durante 16 anos entre a China e o Myanmar, vai ter a sua estreia mundial em Avanca

O 26º AVANCA Festival Internacional
de Cinema, cuja competição decorre entre 27 e 31 do corrente mês de julho, comemora um quarto de século sob o signo dos DESLOCADOS.

O Festival anuncia que os “DESLOCADOS são refugiados, migrantes, retornados, foragidos e até degredados, proscritos, apátridas. Deslocados pela força da ficção, sempre”.

Atentos aos grandes movimentos de deslocação de pessoas em tempo de conflitos desmesuradamente armados, da Síria, da Ucrânia, da África, para só referir os mais visíveis, o Festival de Cinema AVANCA será este ano um espaço da sua visibilidade.

No cinema, os filmes ampliam o conhecimento dos conflitos e a barbárie que sempre fazem gerar. No AVANCA, para além de filmes, os DESLOCADOS serão o tema de trabalho nas Oficinas de Criação Filmica que em cada ano marca este evento.

Estando previsto a exibição de cerca de 130 filmes, entre longas e curtas metragens vindas de países dos 5 continentes, um terá especial atenção dada a sua singularidade.

Ao longo de 16 anos, entre 2005 e 2020, o cineasta chinês Zhandong MA, com produção de Hong Kong, filmou na segunda zona especial do Estado Wa de Myanmar.

Durante a reforma agrária e a Revolução Cultural na China, muitas pessoas fugiram para ali, tornando este no maior ponto de encontro da nacionalidade Han na região. 

Em “Nowhere People” (Pessoas de lugar nenhum) o cineasta centra-se nas mudanças de vida de Li Simei e Vovó Chen após a proibição do cultivo das drogas. Tempos em que os seus filhos não puderam voltar à China e as suas identidades não foram reconhecidas. Um lugar que passou a ser um sistema geopolítico marginalizado, um “enclave” sem identidade. 

Este longo e polémico filme de um cineasta que continua a trabalhar e morar em Chengdu (China),  aborda a política, a história, as drogas e a forma como os indivíduos do "Triângulo Dourado" tragicamente se defendem. As vidas de Li e Chen, que deixaram as suas cidades natais, desaparecem com o curso da história na terra montanhosa que já foi cheia de papoulas no norte de Myanmar. Deslocados que sobrevivem onde o conceito de "nação" é apenas uma ilusão.

Zhandong MA afirma que, “Quando as drogas se tornam um mal geracional, a tragédia individual torna-se um outro "desaparecido" num contexto histórico e geopolítico complexo. Qual é o futuro de um enclave simbólico sem "nome" ou "identidade"? Uma história de sobrevivência desesperada espelha a história de uma nação. Toda a história se torna a "glória" do presente, mas os indivíduos que a carregam, trazem com eles sempre o sofrimento”.

Serão 4 horas e 15 minutos que, em estreia mundial, o Festival de AVANCA irá exibir no Cinema Vida em Ovar, um dos locais onde decorre o festival, na terça-feira dia 26 a partir das 16 horas.

O 26º AVANCA inicia-se no dia 22 e as competições internacionais vão decorrer entre 27 e 31 no Auditório Paroquial de Avanca, no Cinema Vida em Ovar, e com exibições especiais no Cine Teatro de Estarreja e no Espaço Estação.

Organizado pelo Cine Clube de Avanca e pelo Município de Estarreja, o AVANCA tem apoio do ICA / MC, IPDJ, Turismo Centro, Junta de Freguesia de Avanca, Agrupamento Escolar de Estarreja,  Paróquia e das associações de Avanca, contando ainda com o apoio de várias universidades e escolas de ensino superior do país, empresas e outras instituições da região.


terça-feira, 14 de junho de 2022

“AvancaGIGANTES” - UMA MARÉ DE CINEMA DE ANIMAÇÃO EM JUNHO NO ALGARVE


No final do ano escolar, cerca de 1500 alunos do Algarve participam, com os seus professores, num projeto de dinamização educativa e cultural através do cinema de animação.

São exibidos filmes para todas as idades, selecionados por nível de ensino que envolvem os Agrupamentos de Escolas de: Albufeira, João da Rosa - Escola E.B.1 da Cavalinha (Olhão), António Aleixo - Escola do Pontal (Portimão), Vila do Bispo e a Escola Secundária de Loulé.

Há ainda a colaboração dos Municípios de Albufeira e Vila do Bispo.

Este evento no Algarve tem coordenação de Isa Catarina Mateus, com a participação das professoras responsáveis nas escolas: Manuela Jorge, Isadora Mateus, Anabela Gaspar, e Maria do Carmo Chaves.

O “AvancaGIGANTES – Algarve 2022” é um projeto de “cinema para os que estão sempre a crescer”, envolvendo em visionamentos comentados, crianças desde o pré-escolar aos jovens do ensino secundário.

A seleção de filmes reúne curtas de animação oriundas maioritariamente da Europa (Bélgica, Eslovénia, França, Itália, Macedónia, Rep. Checa e Turquia), mas também do resto do mundo (Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, EUA, Japão e Singapura).

Vários filmes portugueses integram esta seleção, como “Amo-te Cigarra” de Francisco Lança, a curtíssima “Galope” de Raquel Felgueiras ou o surpreendente filme “A Tua Vez”, que tendo nascido da autoria do cineasta multi-premiado Olhanense Cláudio Jordão, contou ainda com a co-realização de David Rebordão.

Os filmes abordam temáticas que se preocupam com o meio ambiente, com o nosso mundo, mas também com as difíceis e sempre complexas relações humanas e interculturais, bem como com a nossa relação com a arte e o próprio cinema.

O “AvancaGIGANTES”, tendo nascido como um projeto de dinamização educativa e cultural, marca os 25 anos de realização ininterrupta do Festival Internacional de Cinema AVANCA. Curiosamente, neste evento e ao longo dos anos, foram exibidos e premiados alguns dos melhores filmes produzidos por cineastas do Algarve como Bruno Mendes da Silva, Vera Casaca, Hernâni Cabral, Cláudio Jordão e Nelson Martins, entre outros.

250Com o apoio das Federações Portuguesa e Internacional de Cineclubes (FPCC e FICC), da Direção+ Regional de Cultura do Algarve (através do Programa “JCE – Juventude, Cinema, Escola” e do Programa HARPA – História, Artes e Património do Algarve) , da “RBE - Rede de Bibliotecas Escolares”, do Programa PEEA - Educação Estética e Artística, o “AvancaGIGANTES” tem curadoria de António Costa Valente, investigador do CIAC e docente da Universidade do Algarve.

sábado, 9 de abril de 2022

O ÚLTIMO DIA DE CARLOS TAVARES

PRÉMIO AMIZADE 2017 DO FESTIVAL DE CINEMA DE AVANCA


Estávamos em 2017 e o Festival AVANCA comemorava 20 anos de intenso cinema.

Na sessão de abertura de mais uma edição dos “Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia”, entre os premiados do ano anterior, as imagens desses filmes, as palavras de todos os que foram subindo ao palco, a organização do festival atribuiu um Prémio Amizade.

Instituído para marcar a excelência de uma carreira e a amizade, colaboração e empatia com o Festival de Cinema, este foi sempre um prémio que teve o condão de distinguir personalidades e entidades muito diversas mas de extremo significado para o festival.

Em 2017 o Prémio Amizade foi atribuído a um empresário de Avanca, um amigo que ano após ano sempre ajudava e contribuía para a concretização e excelência do evento.

Carlos Tavares subiu ao palco, no ano em que o AVANCA comemorou os seus 20 anos de vida, recebeu o Prémio Amizade do ano e nas suas palavras ficaram espelhadas o seu agradecimento e empenho em continuar a colaboração e participação de sempre.

Tendo emigrado muito cedo, construído uma vida no Canadá, voltou à terra natal onde viu crescer a família, a empresa e onde novos projetos lhe ocuparam os novos dias.

Exímio na arte da carpintaria, foram as madeiras que lhe ocuparam a maior parte da sua vida e a base do seu projeto empresarial.

Agora, num momento em família, um acidente inesperado e a tragédia aconteceu. 

Carlos Tavares deixou o nosso mundo aos 60 anos.

A todos nós, mas sobretudo à família, faltará agora a sua bonança, o sorriso, o saber e a companhia.

O Festival de Cinema AVANCA, que este ano irá comemorar 25 anos e a sua 26ª edição, relembra o momento da atribuição do Prémio Amizade e expressa à família o profundo pesar por este trágico e inesperado momento.