terça-feira, 25 de julho de 2017

“ANTÍGONA” ABRE FESTIVAL DE CINEMA “AVANCA 2017”

Esta quarta-feira dia 26, pelas 21h45 no Auditório Paroquial de Avanca, o 21º Festival Internacional de Cinema AVANCA 2017 abre com a cerimónia de entrega de prémios do ano anterior e com a estreia do filme “Antes que a noite venha - falas de Antígona” de Joaquim Pavão.

O filme “Antes que a noite venha - falas de Antígona” foi rodado em Avanca e produzido pelo festival de Cinema AVANCA 2016 em colaboração com a Fugir do Medo e a Filmógrafo. Com autoria do realizador Joaquim Pavão e baseado na obra de Eduarda Dionísio, é protagonizado por Isabel Fernandes Pinto, Rui Pena e Claudinei Garcia. Esta obra será a primeira dos 128 filmes que serão exibidos no AVANCA 2017.

A noite de entrega de prémios será transmitida via internet, num direto assegurado por alunos de televisão e vídeo da Escola Profissional Val do Rio, de Oeiras.

Com uma forte presença de obras que aqui fazem a sua estreia, no AVANCA 2017 serão exibidos 16 filmes em estreia mundial e todos os filmes que integram a seleção competitiva em estreia nacional.

Destaque para as longas metragens “Kashtiban” de Majid Esmaeili (Irão), “Marisa en los bosques” de Antonio Morales (Espanha) e “Foro Íntimo” de Ricardo Mehedff (Brasil) que serão exibidas nas noites de quinta e sexta-feira no Auditório Paroquial de Avanca.

Portugal será no entanto o país com mais filmes exibidos nas competições do festival. Pela primeira vez na competição internacional de cinema estarão presentes os seguintes 5 filmes: “Limbo” de Pedro Sousa, “Já passou” de Sebastião Salgado e Pedro Patrocínio, “Loop” de Manuel Caeiro, “Hei-de morrer onde nasci” de Miguel Munhá, “Esta Noite Que Nos Chama” de Francisco Morais e Miguel Pinto.

A presença portuguesa na seleção internacional estende-se à televisão, com os documentários “Palingénese” de Nuno Braumann e Pedro Koch e “Baptismo de Terra” de Vanessa Rodrigues e na competição vídeo “Placidez” de Luís Miranda, “Os peixes não voam assim” de Tiago Damas
e “May I ? remix#” de Vasco Diogo.

O AVANCA 2017 será ainda o momento de estreia de vários filmes produzidos na região. Assim, serão exibidas as longas metragens “Canil” de Miguel Marques, “Sonho Longínquo no Equador” de Hamilton Trindade (uma coprodução com São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau) e “Ad Ventum - Em direção ao vento” de Bárbara Mateos (uma coprodução com Espanha).
Nas curtas metragens serão exibidos os filmes “A língua” de Adriana Martins da Silva, “Andorra Liechtenstein” de João Costa, “Your Turn” de David Rebordão, “Reis do Sertão” de Pablo Sant'Ana (uma coprodução com o Brasil), “Fim da linha” de Paulo D'Alva e António Pinto, “Vicente um corvo diferente” de Coletivo de Crianças A.E. de Ovar Sul, “Carga” de Luís Campos, “The Lever” de Evangelos Giovanis e Rosário Costa além do filme de Joaquim Pavão.

Paralelamente, serão exibidas mostras panorâmicas do cinema de países como a Itália, Japão, Croácia, Bulgária, Espanha, Hungria e Marrocos. Um Panorama do Cinema Português com longas e curtas metragens, tem particular realce, sobretudo ao permitir um continuado encontro com a nossa cinematografia que nos últimos anos têm vindo a crescer tanto em número como sobretudo qualidade.


Organizado pelo Cine Clube de Avanca e pelo Município de Estarreja, o festival decorre até dia 30 e tem o apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual, do Ministério da Cultura, do Instituto Português do Desporto e da Juventude, Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro e Fundação para a Ciência e Tecnologia, entre diversas entidades locais.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

10 CINEASTAS FILMAM EM AVANCA E 149 INVESTIGADORES APRESENTAM COMUNICAÇÕES

A partir de quarta-feira dia 26, durante 5 dias, 10 cineastas premiados ajudam participantes a filmar nas ruas, nos campos e com as pessoas de Avanca.

O 21º Festival Internacional de Cinema AVANCA 2017, paralelamente à competição de filmes organiza o CREATIVE FILM WORKSHOPS, onde participantes inscritos integram equipas que filmam com cineastas convidados pelo festival. Este projeto procura ser um embate de criatividade, de experimentação fílmica, de explosão narrativa e de apuro técnico.
O AVANCA 2017 conta assim com cineastas da Áustria, Canadá, Cuba, Bélgica, Brasil, Espanha, Jordânia e Portugal. Todos os cineastas convidados são autores de obras distinguidas no AVANCA e com um percurso profissional assinalável.

Procurando filmar entre a ficção e o documentário, Jessica Rodríguez, jovem e surpreendente realizadora e escritora cubana cuja longa-metragem “Óculos escuros” tem sido uma revelação, orientará filmagens conjuntamente com o cineasta austríaco Chris Raiber do multipremiado “Nelly”, com a jovem revelação do cinema jordano Dalia Abuzeid e o documentarista português
Luís Margalhau, que no ano passado viu o seu filme “Nós na Rua” ser distribuído pelo circuito comercial de cinema.

Marcia Paraiso, argumentista e cineasta brasileira autora do filme “A Lua em Sagitário”, irá orientar uma oficina de escrita para cinema.

Também o diretor de fotografia brasileiro Ralf Tambke irá orientar uma oficina de cinema. Voltada para as técnicas de iluminação para cinematografia digital, procurará abordar a prática de iluminação baseado em cenas da cinematografia clássica mundial.

Na animação, a cineasta canadiana Janice Nadeau, distinguida com os prémios LUX, conjuntamente com os realizadores Arly Jones e Sami Natsheh de Espanha que trabalharam em filmes nomeados para o Oscar e venceram prémios Goya, irão procurar desenvolver projetos nesta área.

Os filmes produzidos que têm sido produzidos ou desenvolvidos nos workshops do AVANCA, têm tido ao percurso assinalável. O filme português mais premiado de sempre teve o seu primeiro desenvolvimento numa oficina do AVANCA e este ano o Festival vai abrir com um filme produzido na edição do ano anterior.

Paralelamente, 149 conferências proferidas por investigadores vindos de países dos cinco continentes, marcam os dias do festival onde a conferência AVANCA | CINEMA vem permitir a divulgação do que está a acontecer pelos centros de investigação à volta do cinema, um pouco por todo o mundo.
Nesta conferência será atribuído à melhor comunicação, o Prémio Eng. Fernando Gonçalves Lavrador. Esta distinção foi criada em homenagem póstuma a um dos mais relevantes investigadores portugueses na área da semiótica, estética e teoria do cinema, cuja obra é fundamental e universal.


Com o propósito de ser um encontro e um apoio ao ato criativo de cineastas de todo o mundo, o 21º AVANCA 2017 é uma organização do Cine-Clube de Avanca e Município de Estarreja com com o apoio do ICA / Ministério da Cultura, IPDJ, FCT, Região de Aveiro, Junta de Avanca, Agrupamento de Escolas e Paróquia de Avanca, para além de várias entidades locais, nacionais e estrangeiras.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

MANUELA CAMPAGNA, ATRIZ BRASILEIRA PREMIADA, DIRIGE OFICINA COM JOVENS NO “AVANCA 2017”

A atriz brasileira Manuela Campagna, protagonista do filme “Lua em Sagitário” de Márcia Paraíso, distinguida em 2016 com o Prémio Melhor Atriz, estará este ano no AVANCA 2017 a orientar uma oficina de interpretação destinada aos mais jovens. Esta oficina decorre já entre os dias 26 e 30 do corrente mês.

Pelo sexto ano consecutivo, o Festival Internacional de Cinema AVANCA 2017, irá ter um espaço destinado aos participantes mais jovens.

O CINENTERTAINMENT 6 é um espaço de workshop no festival, destinado a jovens futuros cineastas com idades entre os 6 e os 12 e entre os 13 e os 17 anos.
Jovens cineastas, aprendem e experimentam fazer um filme. O que é o cinema, como é feito e quem o faz, o que é o trabalho do ator, pode-se dar vida a uma personagem? estas são as premissas para 3 dias a usar uma câmara vídeo e explorar o fazer cinema.

Nascido com a intenção de ocupar os mais novos enquanto os pais participam no festival, este espaço de oficina de cinema autonomizou-se e tem permitido que muitos jovens experimentem aqui novas formas de criatividade e comunicação.

Manuela Campagna, atriz e especialista a trabalhar com futuros jovens atores, gosta sobretudo de desenvolver experiências onde o corpo e expressão ganham novos significados. Através dos jogos, da improvisação mas também do uso de textos, procurará que os jovens participantes descubram formas de tornar o corpo expressivo, descobrindo maneiras não quotidianas de se expressar.

Este espaço de oficina conta como sempre com a equipa da “PANTOPEIA - Criação e promoção artística”, coordenando todos os trabalhos.

Atores, videastas e animadores, a equipa da PANTOPEIA tem criado sucessivos projetos que envolvem a criatividade, os mais novos e a criação artística em processo pedagógico.
São formadores e monitores que conhecem bem o AVANCA, têm uma sólida experiência e são a garantia de uma dinâmica construtiva e estimulante.

O CINENTERTAINMENT 6 tem as suas inscrições abertas em www.avanca.com e este é mais um dos acontecimentos que este ano participam na comemoração dos 20 anos deste festival de cinema da região centro do país.

O 21º Festival Internacional de Cinema AVANCA 2017 é uma organização do Cine-Clube de Avanca e Município de Estarreja, com o apoio do ICA / Ministério da Cultura, IPDJ, Região de Turismo do Centro, Junta de Avanca, DeCA / Universidade de Aveiro, Universidade de Coimbra, UTAD, ESAP, ESAD, Academia Portuguesa de Cinema, Agrupamento de Escolas e Paróquia de Avanca, para além de várias entidades locais.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

MADRID MARCA O INÍCIO DO FESTIVAL DE CINEMA “AVANCA 2017”

Num ecrã de Madrid, acontece hoje a primeira exibição do 21º AVANCA, Festival Internacional de Cinema que irá acontecer proximamente no distrito de Aveiro.

Este festival, cujas competições decorrem entre 26 e 30 de julho em Avanca, concelho de Estarreja, tem este ano a sua primeira sessão no Teatro do Centro Cultural Pilar Miro, no centro da capital espanhola.

O Centro Cultural tem o nome de uma das cineastas espanholas mais marcantes do cinema do país vizinho. Pilar Miro realizou filmes memoráveis como “El crimen de Cuenca” em 1979 ou “El perro del hortelano” de 1996, que na altura foi distinguido com 7 Prémios Goya.

Neste moderno empreendimento cultural, sobranceiro à Plaza Antonio María Segovia, serão exibidos alguns dos filmes selecionados nos anos anteriores.

Para além de filmes originários da Argentina, Estónia, EUA, Rússia, Suíça e naturalmente Espanha, serão exibidos dois filmes portugueses.

O filme de animação SENDAS da realizadora Raquel Felgueiras, será uma das obras a exibir. Produzido pelo CEINAV da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, numa parceria com o Cine-Clube de Avanca e Filmógrafo, esta obra questiona a forma de escapar e sobreviver a experiências traumáticas. Uma mulher e dois irmãos dão-nos duas narrativas paralelas das suas viagens de cura emocional.
Estreado no AVANCA 2016, este filme foi distinguido com o Prémio Competição Avanca de Curta Metragem.
Este filme tem sido escolhido e exibição em festivais do Bangladesh (Dhaka), EUA (Nova Iorque e Massachusetts), Espanha (Madrid, Corunha e Vigo), São Tomé e Príncipe, Itália (Roma), Grécia Atenas), Eslovénia (Gorišnica) e Sudão. Em Portugal este filme foi exibido em festivais como o CINANIMA, CURTAS AÇORES, CINECÔA, CAMINHOS, PORTO7, estando proximamente em exibição no CURTAS e no NAU.

LANDING do realizador Filipe Martins, também estreado e premiado no AVANCA 2016 é uma obra que junta a dança ao cinema num trabalho experimental de grande folgo deste cineasta e da coreografa Né Barros.
Produzido conjuntamente pelo Ballet Teatro do Porto e pelo Festival AVANCA, esta obra foi em grande parte rodada no contexto dos workshops profissionais do AVANCA.
Distinguido no festivais CAMINHOS (Coimbra), no Lisbon Internacional Film Festival e no PAISAGENS (Sever do Vouga), este filme tem sido exibido no Brasil, Espanha, Hungria, Itália, México e Reino Unido. Em Portugal este filme passou já por festivais como o CURTA AÇORES, CINECÓA e InShadow.

Entretanto o festival tem já as suas primeiras exibições a partir do dia 21 no Cinema Dolce Vita em Ovar, antecedendo assim a competição internacional que irá decorrer entre os dias 26 e 30 no Auditório Paroquial e no Auditório da Junta, ambos em Avanca.


O AVANCA 2017, Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia, são uma organização do Cine-Clube de Avanca e Câmara Municipal de Estarreja com apoio do ICA / Ministério da Cultura, IPDJ, Região de Aveiro, FCT, Junta de Avanca, Paróquia e Escola Egas Moniz, entre diversas entidades locais.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

PLAYDOC - FESTA DO DOCUMENTÁRIO NO TEATRO AVEIRENSE

A Festa do Documentário PLAYDOC regressa ao Teatro Aveirense, 3 sessões com alguns dos melhores documentários. A Plano Obrigatório continua a sua aposta e realiza a 3ª edição desta festa do cinema documental.
Terça-feira dia 27 de Junho pelas 21.30h, o ciclo abre com o filme “DAVID LYNCH: THE ART LIFE - A VIDA ARTE” de Jon Nguyen, Rick Barnes, Olivia Neergaard-Holm.
Neste filme David Lynch leva-nos numa viagem íntima pelos seus anos de formação, desde a infância idílica numa pequena cidade dos Estados Unidos, até às ruas escuras de Filadélfia, identificando os momentos que moldaram um dos realizadores mais enigmáticos do cinema. DAVID LYNCH: THE ART LIFE retrata a arte, a música e os primeiros filmes de Lynch, trazendo luz à escuridão do seu mundo único, dando aos espetadores um conhecimento mais aprofundado do homem e do artista. Ao afastar as cortinas do ícone espera revelar David Lynch enquanto indivíduo.
Nessa sessão o público também poderá assistir a “RAZÃO PARA ZEBRAS” de João Costa. Documentário sobre Igor Chamada, um realizador que desenvolvia um trabalho multicultural sobre a felicidade, projeto que não conseguiu concluir.
O PLAYDOC terá nova sessão na terça-feira dia 11 de Julho com o documentário “I´M NOT YOUR NEGRO”, de Raoul Peck, candidato ao Óscar de melhor documentário.
O filme é baseado no manuscrito inacabado do romancista, ensaísta, dramaturgo, poeta e crítico James Baldwin.
Em 1979, James Baldwin escreveu ao seu editor dizendo que o seu próximo projecto, Remember This House, seria um livro revolucionário sobre as vidas e os assassinatos de três dos seus amigos mais próximos: Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King, Jr. O filme promete lançar a reflexão sobre preconceito e a segregação racial.
No dia 11 também poderão assistir à curta-metragem “CERVEJA, GRAVURAS E CINEMA” de Francisco Moura Relvas. Uma homenagem a Fernando Mateus, jornalista e crítico de cinema.
O ciclo terminará em clima de festa no dia 18 de Julho. Nesta sessão será exibido “LEMBREM-SE DE NÓS” de Dalia Abuzeid, vencedor do Prémio Televisão e Prémio Estreia Mundial Televisão no Festival de AVANCA de 2016.
O filme é um documentário-ficção de longa duração que desvenda histórias de uma minoria esquecida da Jordânia: os refugiados Palestinianos de Gaza. Cidadãos de parte nenhuma, estes refugiados e as gerações posteriores nunca tiveram nacionalidade, o que os privou de direitos sociais, cívicos e humanos, e implicou acesso limitado à educação, saúde, viagem e estilo de vida.
Nesta sessão o público ainda poderá assistir a “TRANSITIONS” de Ana Barroso, que será musicado ao vivo por Miguel Sá. O vídeo foi filmado no Mosteiro da Batalha, património mundial e uma maravilhosa peça de arquitetura, ainda inacabada, mas, também, por isso, lugar inspirador sobre a relação da imagem material com tudo o que está para além dela. O filme acontece no limiar entre o material e o intangível, solicitando a perceção única do espetador e um envolvimento emocional com o que (não) está a acontecer na narrativa.

O PLAYDOC conta com a colaboração do Festival de Cinema AVANCA 2017, para além de ser um evento da Plano Obrigatório, Teatro Aveirense e Município de Aveiro, com o apoio do ICA / Ministério da Cultura.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

FILME “CONTO DO VENTO” GANHA O SEU 24º PRÉMIO E DEVERÁ SER O FILME PORTUGUÊS MAIS PREMIADO DE SEMPRE

Produzido pela Filmógrafo, Cine-Clube de Avanca e Kotostudios, o filme de animação 3D “Conto do Vento” acaba de ser distinguido nos Açores com o seu 24ºprémio, devendo ser o filme de produção integralmente portuguesa mais premiado de sempre.

No âmbito do festival internacional de artes, Azores Fringe, o programa shorts@fringe, dedicado a curtas metragens, que abrange animação, documentário, ficção e vídeo arte, apresenta 136 filmes de 50 países, em várias ilhas dos Açores. A MiratecArts, a associação organizadora da mostra, acabou de anunciar o primeiro Prémio Audiência, um dos cinco prémios que vai atribuir nesta quinta edição do festival.

Conto do Vento, realizado por Cláudio Jordão e Nelson Martins foi o primeiro filme galardoado, escolhido pela audiência do Fringe, na ilha do Pico. O filme de produção totalmente nacional estreou no Festival de Avanca e tem um longo percurso de mostra e muitos prémios, desde Portugal à Grécia e do Brasil à Índia.

Conto do Vento é um projeto realizado com o recurso à animação 3D. A sua história retrata uma fábula sobre a vida de uma menina e de sua mãe, numa sociedade preconceituosa, algures numa aldeia portuguesa.

Shorts@Fringe aceita filmes produzidos, com o máximo de 15 minutos e durante a mostra, as audiências escolhem os seus favoritos.

O festival continua com sessões nas ilhas do Pico, Graciosa e Terceira, na cidade património mundial de Angra do Heroismo. Na programação, são exibidos filmes de 50 países, com imagens que dão a volta ao mundo.

O Azores Fringe continuará até 30 de junho, com mais de 70 eventos e trabalho de 300 artistas - uma explosão artística dos Açores para o mundo. www.azoresfringe.com


“Conto do Vento” foi produzido com apoio do ICA do Ministério da Cultura e da RTP. Cláudio Jordão e Nelson Martins, após este filme, lutam à anos por conseguir voltar a realizar um novo filme de animação.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

ANTÓNIO SOUTO APRESENTA "DUPLA EXPRESSÃO - CRÓNICAS" NA FEIRA DO LIVRO DE AVEIRO

O escritor António Souto, no próximo domingo dia 11 de junho pelas 17h, na Feira do Livro de Aveiro, irá apresentar o seu mais recente livro , editado pela DebatEvolution. A apresentação estará a cargo da Profa. Dra. Anabela Oliveira da UTAD.
O livro reúne uma seleção de textos editados nos últimos cinco anos, de "Dupla Expressão – Crónicas"outubro de 2011 a setembro de 2016´, na revista “Human”. Parte destas crónicas foram igualmente publicadas até 2013, no blogue “Floresta do Sul”.
António José Souto Marques natural de Angeja, Albergaria-a-Velha (Aveiro),é professor no Liceu Camões em Lisboa. Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas (Universidade de Lisboa) e pós-graduado em Teoria e Criação Literária (Universidade Autónoma de Lisboa).
É professor em Lisboa, tendo lecionado em Estrasburgo (França), na Universidade de Ciências Humanas, no Instituto de Tradutores, Intérpretes e Relações Internacionais e na Universidade Popular Europeia, entre 1989 a 1997. Exerceu, no XIV Governo Constitucional, as funções de Assessor e de Chefe de Gabinete no Ministério do Trabalho e da Solidariedade.
É sócio da “Associação Portuguesa de Escritores” e tem sido júri no “Festival Internacional de Cinema AVANCA”, que em julho comemora 20 anos.
Autor, entre outros escritos, dos livros de poesia "Arcanas Carícias", "Na Lavra do Dizer", "Caprichos" (com prefácio de Urbano Tavares Rodrigues), "O Tempo das Palavras" (em parceria com Armindo S. e com prefácio de João Melo) e “Sonhos Sobrantes” (com prefácio de Luiz Fagundes Duarte).
"Dupla Expressão – Crónicas" é o seu segundo livro de crónicas, tendo o primeiro "EX ABRUPTO - Crónicas do Tempo", sido igualmente publicado pela “debatEvolution”.
António Manuel Venda, escritor e diretor da revista “human”, diz sobre António Souto, “...é um escritor surpreendente a cada parágrafo e, estou convencido, um dos poucos grandes cronistas do Portugal destes tempos que se calhar a maior parte de nós ainda não percebeu bem que tempos são.”.
A apresentação estará a cargo da Profa. Dra. Anabela Oliveira, professora auxiliar na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e investigadora no Labcom. Natural de Aveiro e Doutorada em Literatura Comparada, orienta a sua investigação científica no âmbito dos estudos interartes, nomeadamente nas relações entre literatura e cinema, literatura e arquitetura e também na cinematografia de Manoel de Oliveira, Fellini e Jacques Tati.