segunda-feira, 29 de outubro de 2018

"UMA VIDA SUBLIME" PREMIADO EM ESPANHA E SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

O filme “Uma Vida Sublime” do realizador Luís Diogo e em coprodução com o Cine Clube de Avanca e Filmógrafo, acaba de ser distinguido de novo em Espanha e em São Tomé e Príncipe.

Com estes dois prémios, eleva-se a 29 o número de distinções que foram atribuídas a este filme durante 2018, confirmando-o como o filme português mais distinguido do ano.

Galardoado com o Prémio de Melhor Actor (Eric da Silva) na Semana dos Realizadores do Fantasporto 2018, em março último, o filme tem recebido distinções diversas em festivais de países de quase todos os continentes, faltando até agora a África.

Na quarta edição do São Tomé Festfilm, que acaba de encerrar na ilha de São Tomé com a exibição do documentário “Sonho Longínquo no Equador” de Hamilton Trindade, o filme “Uma Vida Sublime” arrecadou o Prémio de Melhor Longa Metragem. Completou-se assim o conjunto de continentes onde o filme foi exibido e distinguido.

Em Espanha, na cidade galega de Vilagarcía de Arousa, o 46º CURTAS, Festival Internacional de Cinema e Banda Desenhada distinguiu Luís Diogo com o Prémio de Melhor Realizador. Na cerimónia que decorreu na sala Rivas Briones, como habitualmente repleta, a organização aproveitou para assinalar o crescimento de público ao longo dos 10 dias da edição deste ano do festival.

O filme conta a história do Dr. Ivan, um médico que usa métodos extremos para conseguir que pessoas infelizes voltem a ter uma vida tão sublime quanto a sua.

Protagonizado pelos atores Eric da Silva e Rui Oliveira, este filme é também protagonizado pela atriz Susie Filipe, a bem conhecida baterista da banda “Moonshiners”.

“Uma Vida Sublime” é a segunda longa-metragem do cineasta Luís Diogo, tendo este filme integrado o projeto “Creative Film Workshops” do Festival de Cinema AVANCA.

Luís Diogo realizou anteriormente a longa metragem “Pecado Fatal” e é autor de argumentos que chegaram ao grande ecrã por Leonel Vieira, Luís e Gonçalo Galvão Teles.

“Uma Vida Sublime” está entretanto em exibição nos cinemas da Rússia e da Bielorússia e deverá estrear em Portugal a 24 de janeiro próximo.

sábado, 27 de outubro de 2018

“O HOMEM QUE MORREU 4 VEZES” É APRESENTADO NA MURTOSA

O ator Thomaz Vieira, que tendo participado no primeiro filme de ficção do cinema português “Os Crimes do Diogo Alves” (1ª versão inacabada, 1908), viveu 101 anos entre o teatro e o cinema.
Ator maior dos nossos palcos, a sua autobiografia acaba de ser reeditada e terá apresentação pública este sábado na terra que o viu nascer – Murtosa.

Será neste sábado dia 27 de outubro, pelas 16h, no Auditório da Oficina de Artes, que António Abreu Freire fará a apresentação deste livro. Responsável pela recuperação e reedição da obra, Abreu Freire escreve que esta reedição “...permitirá  que as gerações presentes e vindouras não esqueçam aqueles que contribuíram pela sua ação, pela coragem e ousadia com que enfrentaram a vida e o destino, para a construção do nosso património cultural”.

Com o título “O homem que morreu 4 vezes” e com o subtítulo “Memórias de um actor do século passado”, esta obra com 558 páginas, foi impressa originalmente em Viseu, no ano de 1967, sendo esta reedição uma oportunidade para divulgar uma obra de que até hoje chegaram muito poucos exemplares.

A apresentação contará com a actuação dos repentistas brasileiros Geraldo Amâncio e Guilherme Nobre.

Thomaz Vieira nasceu na freguesia de Pardelhas, Concelho da Murtosa em 24 de junho de 1878. Apaixonado por teatro desde criança, deu os primeiros passos num palco com 17 anos, no Clube da Serra do Pilar em Gaia, tendo-se estreado como profissional em 1 de dezembro de 1896 na Academia Bracarense. Com diversas companhias de teatro percorreu quase todo o espaço de língua portuguesa, do Brasil a Moçambique, durante 32 anos. Cruzando o oceano dezenas de vezes. Deu o seu último espectáculo num palco de teatro no dia 16 de setembro de 1928, aos 50 anos.

Tinha 53 anos quando iniciou então uma nova actividade artística com a exibição de cinema ambulante, sobretudo em Moçambique, que manteve por mais de 35 anos (1931-1966).
Cessou esta atividade aos 88 anos quando já decorria a guerra colonial. Ainda assumiu a direção do teatro radiofónico no Rádio Clube de Moçambique.
Por quatro vezes anunciaram a sua morte, mas viria a viver 101 anos, tendo tempo para escrever a história da sua vida, que é também uma história do teatro em Portugal nas primeiras décadas do século XX.
Por ocasião dos seus 100 anos foi condecorado pelo presidente Ramalho Eanes, tendo vindo a falecer a 12 de agosto de 1979.

A nova edição do livro é da editora “debatevolution” e do Cine Clube de Avanca.

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

“UMA VIDA SUBLIME” ESTREIA HOJE NOS CINEMAS NA RÚSSIA, ONDE VOLTOU A SER DISTINGUIDO

UMA VIDA SUBLIME de Luís Diogo estreia hoje nos cinemas da Rússia.

Após ante-estreias em Moscovo e São Petersburgo, com salas cheias e sessões muito participadas, é agora tempo de o filme percorrer várias cidades deste imenso país.

Entretanto, esta longa-metragem de Luís Diogo acaba de receber o “Diploma Especial” da "Associação Russa de Críticos de Cinema" pela "Persuasão e charme de um realismo impressionante".
Este foi um dos dois prémios atribuídos por esta associação entre os 10 filmes a concurso no Bridge of Arts, International Motivational Film Festival, que decorreu em Rostov, Rússia, entre 10 e 15 de Outubro, e onde o presidente do Júri oficial foi o ator Eric Roberts, irmão de Julia Roberts.

Com esta distinção, o filme atingiu os 26 prémios em 43 festivais, encontrando-se nomeado para mais alguns eventos internacionais, que deverão acontecer nos próximos meses. 
Entre estes, o filme “Uma Vida Sublime” será exibido entre 24 e 27 deste mês no 4º São Tomé Festfilm, que este ano acontece nas ilhas de São Tomé e Príncipe com a presença assinalável do cinema de língua portuguesa e também de uma significativa presença da nova produção cinematográfica africana.

Este prémio é importantíssimo uma vez que acontece muito próximo da estreia de hoje nos cinemas Russos e na Bielorússia.
Esta estreia na Rússia terá lugar em mais de 20 salas de cinema, nas cidades de Moscovo, São Petersburgo, Rostov-on-Don, Saratov, Novosibirsk, Perm, Yekaterinburg, ou seja, um pouco por toda a Rússia, desde a capital à Sibéria, passando pelos montes Urais.
Na Bielorússia o filme irá estrear na capital, Minsk.

Com produção conjunta da Filmógrafo e Cine Clube de Avanca, esta longa metragem foi filmada em parte durante o Festival de Cinema AVANCA 2016, integrando o projeto “Creative Film Workshops”, tendo sido igualmente filmada em cidades como Castelo Branco, Paços de Ferreira, Porto e Santo Tirso. 

Protagonizado pelos atores Eric da Silva e Rui Oliveira, este filme é também protagonizado pela atriz Susie Filipe, a bem conhecida baterista da banda “Moonshiners”.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

“UMA VIDA SUBLIME” ENCHE CINEMA EM MOSCOVO

Num evento inédito, organizado pela distribuidora Rusreport, a principal sala do complexo de cinemas da Formula Kino on lubyanka, encheu para assistir à primeira ante estreia na Rússia do filme “Uma Vida Sublime” de Luís Diogo.

Uma plateia onde vários espetadores falavam português, assistiu ao filme esgotando a capacidade da sala e prolongando a sessão num debate cheio de intervenções, que se estendeu após a projeção do filme por mais de uma hora.

Em pleno centro de Moscovo, a cerca de 300 metros da Praça Vermelha e num dos maiores centros comercias da capital russa, nesta sessão vários espetadores gritaram “bravo” quando os créditos ainda passavam na sala.

A equipa portuguesa da produção do filme teve a oportunidade de responder e ouvir questões e opiniões que em vários momentos levantaram palmas entre a assistência.

O filme “Uma Vida Sublime” tem marcada a sua estreia em várias cidades da Rússia para o próximo dia 18 de outubro com cerca de 50 cópias.

Com argumento e realização de Luís Diogo e produção conjunta da Filmógrafo e Cine Clube de Avanca, este filme tem tido uma surpreendente carreira no circuito internacional de festivais de cinema. Distinguido com 25 prémios, nomeadamente o de melhor filme, argumento, realização, direção de fotografia, atores, direção artística guarda roupa, este filme esteve já na seleção oficial de 40 festivais de 18 países.

Protagonizado pelos atores Eric da Silva, Susi Filipe, Rui Oliveira, entre outros, este filme teve filmagens essencialmente em Avanca, Castelo Branco, Paços de Ferreira e Santo Tirso.

O filme, que conta a história do Dr. Ivan, um médico que usa métodos extremos para conseguir que pessoas infelizes voltem a ter uma vida tão sublime quanto a sua, terá uma nova ante estreia na cidade de São Petersburgo.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

EM SETEMBRO, FILMES DO CINE CLUBE DE AVANCA RECEBERAM 19 PRÉMIOS

Ao longo do mês de setembro, 14 filmes produzidos ou coproduzidos pelo Cine Clube de Avanca estiveram em competição em 20 festivais de países tão diversos como a Albânia, Colômbia, Equador, Espanha, EUA, Índia, Itália, Polónia, Reino Unido e Portugal.

Desta presença em festivais internacionais de cinema resultaram 19 prémios, marcando assim um número inesperado de dintinções, tanto para o Cine Clube de Avanca, como para o contexto da produção cinematográfica portuguesa.

A longa metragem de ficção “Uma Vida Sublime” de Luís Diogo foi a obra mais disntinguida, com 10 prémios, seguindo-se a curta metragem “Antes que a noite venha - Falas de Antígona” de Joaquim Pavão com 4 prémios.

Os prémios do filme de Joaquim Pavão foram atribuidos na “3rd Edition of the European Cinematography AWARDS” em Varsóvia na Polónia. Neste evento, o filme o Prémio de Melhor Atriz (Isabel Fernandes Pinto), Melhor Fotografia (José Oliveira), Melhor Desenho de Som e Melhor Música Original (Joaquim Pavão).

Ambos os filmes foram produzidos no âmbito do projeto “Creative Film Workshops” do Festival de Cinema AVANCA e ali rodados, pelo menos em parte.

Dos restantes filmes, “5 Cigarrilhas” de Passos Zamith, uma curta metragem de ficção, foi distinguida com o Prémio Público Juvenil do 9º CURTA AÇORES 2018 e com o Prémio Melhor Fotografia Curta Metragem na Gala dos Premios Latino que decorreu em Espanha,  na cidade de Marbelha.
Nesta Gala também o filme de Luís Diogo foi distinguido, tendo arrebatado os galardões de Melhor  Ator (Eric da Silva), Fotografia longa metragem (Pedro Farate),Argumento e Realização (Luís Diogo).

No “2º PAISAGENS, Festival Internacional de Cinema de Sever do Vouga”, o documentário “Sonho Longínquo no Equador” de Hamilton Trindade recebeu uma Menção Especial Documentário de Longa Metragem, enquanto a  curta metragem de ficção “A Língua” de Adriana Martins da Silva, foi distinguida com o Prémio Curta Metragem Portuguesa.

Este último filme de Adriana Martins da Silva recebeu igualmente o 1º Prémio do “3º Concurso de Curtas Metragens de Fânzeres e São Pedro da Cova”.

Por último, o filme “Uma Vida sublime” foi distinguido como Melhor Filme no TWIN TIERS dos EUA (onde também ganhou o Prémio de Melhor Realizador), e na Albânia no DEAN Open Air International Film Festival, onde também foi distinguido com o Prémio de Melhor Argumento.

Também com o prémio de Melhor Argumento, foi distinguido no Equador (Festival Internacional de Cine de Guayaquil) e em Itália no Parma Internacional Music Film Festival.

Entretanto e até final do ano mais filmes produzidos pelo Cine Clube de Avanca estarão em competição na Bósnia, Brasil, Espanha, EUA, India, Rússia e São Tomé e Principe.

O Cine Clube de Avanca produz filmes desde 1984 tendo sido distinguidos com mais de três centenas de prémios e menções especiais em países dos 5 continentes.

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

UMA VIDA SUBLIME NO CINECÔA, NO ANO DE HOMENAGEM A PAULO BRANCO

Sendo uma das mais esperadas ante-estreias do Cinecôa deste ano, a exibição de “Uma Vida Sublime” em Vila Nova de Foz Côa na noite de sexta-feira dia 28, terá a singularidade de ser exibido no grande ecrã, seguido de um concerto dos Moonshiners.
Susie Filipe, protagonista com Eric da Silva desta obra cinematográfica, é também a baterista desta banda portuguesa que acaba de chegar de uma tournée na Suécia.
Susie participa igualmente no filme de abertura do Cinecôa, “O Caderno Negro” de Valéria Sarmiento, obra escolhida por Paulo Branco no contexto da homenagem que o município lhe irá prestar na quinta feira dia 27, no Grande Auditório Municipal de Foz Côa.

Entretanto, “Uma Vida sublime” acaba de ser distinguido em Parma (Itália) e em Marbella (Espanha), elevando para 23 prémios recebidos por esta obra este ano.

No Parma International Music Film Festival, que decorreu em Itália entre 17 e 23 de setembro, Luís Diogo venceu o seu quarto prémio de "Melhor Argumento", atribuído a este filme.

O filme "Uma Vida Sublime", de Luís Diogo venceu mais 4 prémios, desta vez n

Nos Prémios Latino, uma Gala realizada em Marbella, Espanha, que tem como objetivo premiar o melhor da música e do cinema no espaço latino. "Uma Vida Sublime" recebeu  4 prémios, incluindo  Melhor Realização (Luís Diogo), Melhor Ator (Eric da Silva), Melhor Argumento (Luís Diogo) e Melhor Fotografia de Longa metragem (Pedro Farate).

Nestes evento Prémios Latinos, a distinção de Melhor Fotografia de Curta metragem foi atribuído ao filme português “5 Cigarrilhas” de Passos Zamith. Na gala foram também atribuídos os Prémios Latino de Oro a várias celebridades, como o bailarino Joaquin Cortez e o ator Imanol Arias.

O filme UMA VIDA SUBLIME soma agora 23 prémios em 34 festivais, integrando já a restrita lista de filmes portugueses mais premiados de sempre.

Esta sétima edição do CINECÔA é marcada pela homenagem nesta quinta feira ao produtor Paulo Branco, figura maior do cinema e da cultura portuguesa e europeia.

No Auditório Municipal de Vila Nova de Foz Côa estará em exposição uma mostra fotobiográfica da presença de Paulo Branco pelos filmes e os festivais de todo o mundo onde tem marcado uma ativa e brilhante presença de produtor cinematográfico.

Com sessões de cinema ao longo de todas as horas, entre 27 e 29 de setembro, o festival é marcado pela exibição de filmes inéditos e marcantes da atual produção cinematográfica mundial.

O CINECÔA é uma organização do Município de Vila Nova de Foz Côa e o filme “Uma Vida Sublime “ de Luís Diogo é uma produção conjunta com o Cine Clube de Avanca e a Filmógrafo.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

FILMES DE AVANCA EM “DOS MODOS NASCEM COISAS”

O filme “Rasgar o Passado”, constituído por 5 curtas metragens de 4 realizadores irá integrar o programa de cinema do festival “Dos Modos Nascem Coisas”, que este ano comemora a sua 4º edição.
Sendo um “festival de fazedores de artes”, este evento exibe no Cine Teatro Alba em Albergaria-a-Velha, na tarde de domingo dia16 pelas 17 horas, o conjunto de curtas-metragens da autoria dos realizadores Cláudio Jordão, João Costa, José Miguel Moreira e Luís Diogo.

Em “Rasgar o Passado”, ao afirmar-se que há sempre um passado em cada novo ato de vida, questiona-se se valerá a pena mantê-lo assim tão presente? Valerá a pena procurar Igor Chamada e o seu “Projeto da felicidade? Valerá a pena procurar a tal gruta de que reza a lenda que cada mulher infértil que lá entra, de lá sai grávida? Terá sentido suspeitar que aquele vagabundo pode ser o pai que ela nunca conheceu? Sobretudo se reza a História, que tudo começou com uma Grande Explosão. A questão é... porquê?

“Dos Modos Nascem Coisas” é uma organização conjunta da “Albergar-te, Associação Cultural” e do Município local.

Neste evento, a exposição “Artes e Ofícios Contemporâneos” que está patente na Galeia Alba, integra também o story-board da autoria de Gil Moreira e referente ao novo filme de Joaquim Pavão “Dentro”, uma coprodução com a participação do Cine Clube de Avanca.