sexta-feira, 23 de setembro de 2016

FILMES DO AVANCA 2016, PRODUZIDOS EM AVEIRO, NO ECRÃ DO TEATRO AVEIRENSE


Esta terça dia 27, pelas 21h30 no Teatro Aveirense, Os Filmes das Nossas Terças continuam com a programação especial do Festival de Cinema AVANCA 2016 que celebrou a sua 20ª edição em julho passado.

Dois filmes rodados em Aveiro mostram a costa e a cidade como raramente se viu.

DERIVA LITORAL - O IMPACTO DA EROSÃO COSTEIRA EM PORTUGAL, é um documentário realizado pela aveirense Sofia Barata. Jornalista e realizadora de conteúdos da Fábrica da Ciência Viva, aborda no seu documentário a erosão da costa litoral em Portugal.
No inverno de 2013-2014 a costa portuguesa foi fustigada por fortes tempestades e agitação marítima prolongadas. As zonas costeiras foram notícia pelas piores razões e, nos últimos anos, tem-se verificado em Portugal um avanço progressivo do mar, pondo em causa a segurança de pessoas e bens. Imagens da Vagueira ao Furadouro, passando pela Costa Nova e Barra, participem no registo deste filme que percorreu toda a linha costeira do nosso país.
O filme procura tornar a informação acessível a todos para que melhor se compreenda o fenómeno que tem preocupada as populações do litoral e a comunidade cientifica. O filme foi produzido pela Fábrica da Ciência Viva, Universidade de Aveiro e contou com a participação do Cine-Clube de Avanca e da Filmógrafo.

A curta-metragem que, como habitualmente irá anteceder a exibição do filme de longa duração, será o documentário A FESTA DO NOSSO MENINO S. GONÇALINHO de Pablo Sant'Ana, que acaba de terminar o seu Mestrado em Comunicação Multimédia no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro. Este filme conta o conceito das festividades do São Gonçalinho celebrado em Aveiro, percorrendo as várias fases vividas durante esta celebração. O filme aborda igualmente a festa em que se transformam as tradicionais cavacas que do alto da capelinha são atiradas pelos devotos. Este é um filme que fala de uma das festas populares mais conhecidas da região e uma obra que procura preservar a memória viva da “festa das cavacas”. Distinguido com a menção especial no 20º Festival de Cinema de Avanca 2016, esta obra tem previstas várias exibições em festivais internacionais.

Os realizadores estarão presentes na sessão e a Profa. Dra. Conceição Lopes da Universidade de Aveiro irá fazer a sua apresentação.


Os Filmes das Nossas Terças são uma iniciativa Teatro Aveirense, Plano Obrigatório e Câmara Municipal de Aveiro, têm o apoio do ICA e Ministério da Cultura e nestas sessões do Festival de Cinema AVANCA 2016.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

SERGIPE NO BRASIL RECEBE CINEMA PORTUGUÊS DO FESTIVAL DE CINEMA AVANCA 2016

Filmes portugueses que tiveram a sua estreia nas últimas edições do Festival Internacional de Cinema AVANCA, que este ano comemorou a sua 20ª edição, vão estar em exibição no Brasil.

Na cidade de Aracaju, decorre esta semana a 16ª edição do CURTA-SE, Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE 16), evento que tendo ganho especial relevo no espaço das curtas-metragens e no continente sul americano, teve este ano pela segunda vez uma mostra informativa da produção portuguesa selecionada de entre os filmes nomeados para a competição oficial do AVANCA.

Ali serão exibidos 5 filmes de curta duração e de diversos géneros que têm a particularidade de terem sido todos eles produzidos ou co-produzidos na região do festival Avanca.

A curtíssima obra de animação de Raquel Felgueiras “Galope”, que tem estado em exibição em diversos festivais europeus, transporta-nos pelo desenho para o início do cinema, dos jogos óticos e das primeiras representações rupestres do movimento.

Igualmente com animação, mas sobretudo com imensas crianças com ideias inesperadas sobre a felicidade, será exibido o filme que Gladys Mariotto filmou no Brasil, em São Tomé e Príncipe e em Portugal. Este documentário animado intitula-se “A felicidade mora aqui”.

“Aves, paixão europeia”, realizado por Lardyanne Pimentel, é um documentário com imagens impressionantes do mundo dos amantes de aves. Rodado em Portugal, mas também na Bélgica, Holanda e França, este filme foi desenvolvido no âmbito de um mestrado na Universidade de Aveiro.

Igualmente produzido no âmbito de um mestrado, a ficção “Retrato, sombra, grito” que Ana Luísa Vale desenvolveu na Escola Superior Artística do Porto, é uma obra questionante de identidades onde a fotografia tem um lugar relevante.

Por último “Cerveja, gravuras e cinema” é uma filme experimental realizada por Francisco Moura Relvas com a intervenção do jornalista Germano Campos, numa abordagem de homenagem póstuma a Fernando Mateus. Jornalista, cineasta e homem de cultura, Mateus foi sempre uma presença constante no Festival de Avanca, mas também em quase todos os grandes acontecimentos e eventos cinematográficos portugueses ao longo de décadas e sobretudo após os anos 80.


A exibição destes filmes no estado brasileiro de Sergipe, marca uma colaboração que reúne significativos festivais de cinema de três continentes (Europa, África e América), num contexto onde a língua portuguesa está particularmente presente.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

DEPOIS DO SUSTO, CINEMA CONTINUA NO “ANDANÇAS” COM PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL DE CINEMA “AVANCA 2016”

Depois do incêndio que deflagrou num parque de estacionamento do Festival “ANDANÇAS - Festival Internacional de Danças Populares”, que apesar dos enormes prejuízos materiais não teve felizmente outras consequências, a programação do evento continuou.

Comemorando conjuntamente os 20 anos do ANDANÇAS e as 20 edições do AVANCA 2016, a programação de cinema deste ano resulta de uma parceria onde se procura exibir um cinema com expressão internacional e intercâmbio entre gerações, saberes e culturas.

Nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas no Concelho de Castelo de Vide, distrito de Portalegre, o festival ANDANÇAS tem assim uma sala de cinema onde todas as noites se exibem filmes que foram selecionados pelo Festival Internacional de Cinema AVANCA 2016.

Com inicio às 21h30, pelo cinema do ANDANÇAS passam alguns dos filmes premiados ao longo das 20 edições do festival de cinema AVANCA, mas também um conjunto muito significativo do cinema português de produção independente.

Do cinema português e até domingo dia 7, será possível ver filmes de animação de Artur Correia, André Marques, Carlos Cruz, Carlos Silva, Cláudio Jordão, Cláudio Sá, Manuel Matos Barbosa, Nelson Martins, Patrícia Figueiredo, Vítor Lopes e Xavier Almeida.

Serão igualmente exibidos documentários de Francisco Moura Relvas, Luís Margalhau, Luís Oliveira Santos, Miguel Lima, Vasco Vieira e obras de ficção de José Miguel Moreira e Joaquim Pavão.

Entre os filmes escolhidos está a longa-metragem documental “Nós na rua” de Luís Margalhau e a animação “O Acidente” de André Marques e Carlos Silva, que tiveram recente estreia nos cinemas portugueses.

Entre as obras em exibição estão alguns filmes premiados no AVANCA 2015, nomeadamente o Prémio Estreia Mundial, a longa metragem documental rodada em Cabo Verde “Pov Inventod – Ecos di Cap Verd”, de Juan Meseguer Navarro, o Prémio Animação “Street artist” do jordano Mahmoud Hindawi, ou o Prémio Curta-metragem “Acabo de tener un sueño” de Javi Navarro (Espanha).


Sob a coordenação de Rita Capucho e sua curadoria conjunta com Ana Castro e A. Valente, até domingo dia 7 vão passando pelo ecrã obras que marcaram algumas das 20 edições do “AVANCA – Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia”.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

GORAN RADOVANOVIC VOLTA A VENCER NO FESTIVAL DE CINEMA AVANCA

Filipe Martins, Luís Margalhau e Raquel Felgueiras entre os premiados do 20º AVANCA 2016.

Terminaram os “20º Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia – AVANCA 2016”, encerrando 10 dias de festival e 5 dias de competições, conferências e workshops internacionais. O AVANCA 2016 atribuiu prémios a filmes e autores de 14 países.

“Enclave” do realizador sérvio Goran Radovanovic arrebatou o Prémio Cinema para a Melhor Longa-metragem. Este realizador já havia ganho em 2011 igual distinção. Foi ainda distinguida com Prémio Especial do Júri a longa–metragem “Espejuelos Oscuros” de Jessica Rodríguez (Cuba) e Menções Especiais para as longas–metragens “Fallow” de Laurent Van Lancker (Bélgica) e “Lua em Sagitário” de Marcia Paraiso (Brasil, Argentina). Este último filme foi também distinguido com o Prémio Melhor Atriz, atribuído a Manuela Campagna. O prémio melhor ator foi atribuído a Tibo Vandenborre e melhor fotografia a Laurens De Geyter do filme “Fallow”.

O júri cinema longa-metragem foi constituído pelos cineastas Luís Oliveira Santos, que presidiu, Abu Shahed Emon (Bangladesh), Malte Wandel (Alemanha), Javi Navarro (Espanha) e pela investigadora Moghadaseh Rouhi (Irão).

Na competição de curta-metragem, o prémio foi para “Nelly”, de Chris Raiber (Áustria). Os filmes “Jour Intranquilles” de Latifa Said (França) e “Lila” de Carlos Lascano (Argentina), foram distinguidos com menção especial, respetivamente para a atriz Farida Ouchani e para a “Mise en Scene”.

O Prémio Animação distinguiu o filme “Mamie”, de Janice Nadeau (França).

O Prémio da Melhor Fotografia distinguiu Alex Sernambi, do filme brasileiro “O que teria acontecido ou não naquela calma e misteriosa tarde de domingo no jardim zoológico” de Allan Souza Lima.

O júri cinema curta-metragem foi constituído por Pedro Medeiros (Portugal), Silvia Ferran (Espanha), Amir Masoud Soheili (Irão) e Tommaso Valente (Itália), que presidiu.

Entre as categorias mais esperadas esteve a “Competição Avanca”. Reunindo doze obras produzidas ou co-produzidas na região, foi distinguido o documentário “Afinando pessoas, pássaros e flores” de Luís Margalhau, também distinguido com o Prémio Estreia Mundial, e a animação “Sendas” de Raquel Felgueiras.
O documentário “A festa do nosso menino São Gonçalinho” de Pablo Sant'Ana foi distinguido com a menção especial da Competição Avanca.

O Júri foi constituído pelos programadores André Spencer (Suécia, Portugal), Ayoub el Baghdadi (Marrocos), Carlos Teófilo (Portugal), Christian Inaraja (Espanha), João Paulo Macedo (Portugal), Marcello Zeppi (Itália) e pelo cineasta Manuel Matos Barbosa.

Os prémios de televisão e vídeo foram atribuídos por um júri constituído pelos cineastas Adriano Nazareth, Francisco Colombo (Brasil) e Rui Nunes, pelo programador Mário Branquinho, pelo jornalista Fernando Pinho, pelo poeta António Souto, pelo ator Carlos Rico, pelo pintor Acácio Rodrigues e pelo professor e investigador Leonel Rosa.

O documentário “Remenber Us” da realizadora jordana Dalia Abuzeid, recebeu o Prémio Televisão e Prémio Estreia Mundial Televisão. O Júri atribuiu ainda uma Menção Especial ao filme “Fire, water, air” de Anne Murat e David Bart (França).

Este júri atribuiu o Prémio Estreia Mundial Video a “Landing” de Filipe Martins e menções especiais vídeo a “Pneuma” de Antonello Matarazzo (Itália) e “Patarei Prison” de Ricard Carbonell (Estónia).

A competição “Trailer in Motion” distinguiu o trailer “The clock makers dreams” de Cashell Horgan (Irlanda) e o videoclipe “Irina R - Sailor” de Angelo de Grande e Camilla Tomsich (França).
O video “Up in the sky” de Sami Natsheh (Espanha) recebeu uma Menção especial. O júri foi constituído pelos críticos Germano Campos, Nuno Reis e pelo músico Sérgio Ferreira.

Entretanto, na “AVANCA|CINEMA, Conferência Internacional Cinema – Arte, Tecnologia, Comunicação”, o Prémio Eng. Fernando Gonçalves Lavrador, em homenagem póstuma a um dos mais relevantes investigadores portugueses na área da semiótica, estética e teoria do cinema, distinguiu os investigadores suiços Christian Iseli e Miriam Laura Loertscher com “Digitized Reality: The Trouble with Motion”. A investigadora brasileira Janaína Oliveira com “Kbela e Cinzas: o cinema negro no feminino do Dogma Feijoada” recebeu uma Menção Especial.
O júri deste prémio foi constituído pelos académicos João Victor Gomide (Brasil), Susana Lozano Moreno (Espanha) e os portugueses Adriano Rangel, Anabela Oliveira, Ana Catarina Pereira, Fátima Chinita, José Ribeiro, Manuel Rodrigues.

No total, seis júris constituídos por 38 individualidades de 8 países atribuíram 18 prémios e 10 menções especiais.

O AVANCA acontece todos os anos em Avanca e é uma organização do Cine-Clube de Avanca e Câmara Municipal de Estarreja com o apoio do ICA/Ministério da Cultura, Instituto Português do Desporto e da Juventude, Turismo Centro Portugal, Junta de Freguesia e Paróquia de Avanca, Agrupamento de Escolas de Estarreja, para além de várias organizações internacionais e entidades locais.


sexta-feira, 29 de julho de 2016

FESTIVAL “AVANCA 2016” APOSTA NA FORTE PRODUÇÃO DE CINEMA DA REGIÃO

Depois da cerimónia de abertura ter esgotado o enorme Auditório Paroquial de Avanca, por onde passaram realizadores e produtores de onze países a receberem os seus prémios, numa cerimónia que contou com a brilhante presença das bandas filarmónicas Bingre de Canelas e Visconde de Salreu, a competição internacional de filmes está a decorrer em cada dia neste espaço e no Auditório da Junta de Freguesia.

Com a presença dos realizadores que têm apresentados os seus filmes, nomeadamente da realizadora cubana Jessica Rodríguez, que apresentou a sua novíssima longa-metragem “Espejuelos Oscuros” e da realizadora brasileira Marcia Paraiso que faz no AVANCA 2016 a estreia mundial da sua longa-metragem “Lua em Sagitário”, os filmes estão a ocupar da melhor forma os espaços de exibição do festival.

Mas sábado, o último dia de exibição de filmes a concurso, a  organização do evento reserva uma surpresa ao reunir durante toda a tarde um conjunto de novos filmes que, integrando a “Competição Avanca”, têm a particularidade de todos terem sido produzidos pela região.
Já na cerimónia de abertura foi possível ver a curta “Landing” de Filipe Martins, presente também nesta categoria, onde está previsto exibir no sábado um total de 11 filmes entre curtas e longas-metragens.

Pelas 15h será possível ver em estreia o documentário ”Theyyam, the dancing Gods” que Filipe Pereira foi realizar ao sudeste da Índia. Na mesma sessão será ainda exibido o também documentário “Aves, paixão europeia” que Lardyanne Pimentel realizou em Portugal, França, Holanda e Bélgica.

Às 16h serão exibidas as curtas-metragens “Morrer” de Flávio Pires, “Prefiro não dizer” de Pedro Augusto Almeida, “Joke” de Igor Parfenov e o filme experimental “Quando um asno chega” de Francisco Moura Relvas.

Para as 17h está prevista a exibição do documentário “Deriva Litoral – o impacto da erosão costeira em Portugal” de Sofia Barata, filme que aborda as invasões do mar na nossa costa, nomeadamente da praia do Furadouro.
Esta sessão será completada com a curta “Necropolis” de Kostyantyn Stepanskyy.

A última sessão está prevista para as 18h30 com a exibição da animação “Sendas” de Raquel Felgueiras e dois documentários.
“A festa do nosso Menino São Gonçalinho” de Pablo Sant'Ana é uma estreia que aborda a festa de Aveiro e as tradicionais cavacas que do alto da capelinha são atiradas pelos devotos.
“Afinando pessoas, pássaros e flores” é a longa-metragem documental de Luís Margalhau que encerra esta competição. Sendo igualmente uma estreia, este filme aborda o espaço criativo dos sons que Paulo Rodrigues tem vindo a trabalhar.

O Festival de Cinema AVANCA 2016 exibirá ainda no sábado à noite a sua competição “Trailer In Motion” num ecrã gigante ao ar livre, integrado no Festival de Gastronomia de Avanca.
No domingo será divulgada a lista de filmes premiados, após o encerramento na Escola Egas Moniz com a exibição dos filmes desenvolvidos durante os dias do festival nas “Oficinas de Criação Fílmica 2016” e o “Cinentertainment 5”.

O 20º Festival Internacional de Cinema AVANCA 2016 é uma organização do Cine-Clube de Avanca e Município de Estarreja, com o apoio do ICA / Ministério da Cultura, IPDJ, Região de Turismo do Centro, Junta de Avanca, DeCA / Universidade de Aveiro, Universidade de Coimbra, UTAD, ESAP, ESAD, Academia Portuguesa de Cinema, Agrupamento de Escolas e Paróquia de Avanca, para além de várias entidades locais.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

“LANDING” ABRE FESTIVAL DE CINEMA “AVANCA 2016”

Realizadores de 11 países sobem ao palco para receberem os seus prémios

Esta quarta-feira dia 27, pelas 21h45 no Auditório Paroquial de Avanca, o Festival Internacional de Cinema AVANCA 2016 abre com a cerimónia de entrega de prémios do ano anterior e com a estreia do filme “Landing” de Filipe Martins.

Pelo palco, passarão cineastas da África do Sul, Alemanha, Bangladesh, Bélgica, Espanha, EUA, Guiné-Bissau, Irão, Jordânia, Rússia e Portugal, recebendo as distinções com que ficou marcada a edição do ano passado do Festival AVANCA.

Comemorando a 20ª edição deste festival, o Professor José Augusto Silva e o Design Gabriel Rego irão receber o Prémio Amizade, assinalando os 19 anos de participação ativa neste evento. Serão igualmente distinguidos o centro internacional de investigação científica IAMS e a empresa avancanense de produção de mobiliário metálico ADICO.

O filme “Landing” foi rodado em Avanca e produzido pelo festival de Cinema AVANCA 2014 em colaboração com o Ballet Teatro e a Filmógrafo. Com autoria do realizador Filipe Martins e da coreografa Né Barros, envolve personagens metafóricas que se cruzam numa história contada através dos gestos, dos corpos e dos lugares. Esta obra será a primeira dos 111 filmes que serão exibidos no AVANCA 2016.

Com uma forte presença de obras que aqui fazem a sua estreia, no AVANCA 2016 serão exibidos 15 filmes em estreia mundial e 31 que aqui fazem a sua estreia em Portugal

Paralelamente, serão exibidas mostras panorâmicas do cinema de países como o Irão, Itália, São Tomé e Príncipe e de regiões como a Catalunha (Espanha) e o norte do nosso país (UTAD, Vila Real). Um Panorama do Cinema Português tem particular realce, sobretudo ao permitir um encontro com obras que nos últimos anos têm vindo a crescer em número e qualidade.

A quarta-feira é ainda marcada pela abertura da Conferência “AVANCA | CINEMA” pelas 16.30h, no Multimeios da Escola Egas Moniz.
Ao longo da semana, serão 158 palestras onde investigadores e académicos divulgarão os seus projetos de investigação na área do cinema, reunindo de novo este ano comunicações e participantes com origem em países dos 5 continentes.

O AVANCA 2016 é ainda um espaço para uma Oficina de Criação Fílmica, onde diversos projetos de produção de filmes irão reunir participantes, cineastas, tutores e especialistas, procurando realizar filmes em Avanca.

Neste projecto de produção participam realizadores dos EUA (Evangelos Giovanis), África do Sul (François Verster), Rússia (Igor Korablev), Bélgica (Thierry Michel), Jordânia (Mahmoud Hindawi) e os portugueses Joaquim Pavão, Luís Diogo e Raquel Felgueiras.

Organizado pelo Cine-Clube de Avanca e pelo Município de Estarreja, tem o apoio do ICA / Ministério da Cultura, IPDJ, Turismo Centro Aveiro, Junta de Avanca, entre diversas entidades locais.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

WORKSHOPS NO FESTIVAL AVANCA 2016 PREPARAM A PRODUÇÃO DE NOVOS FILMES

8 cineastas premiados de 4 continentes orientam workshops e reforçam o núcleo de produção de cinema em Avanca.

Abriram as inscrições para os workshops do AVANCA que este ano prometem ser o motor da produção de novos filmes.
Caso único no panorama internacional, dos workshops do AVANCA saíram já alguns dos mais premiados filmes do cinema português, como é o caso do filme de animação “Conto do Vento” de Cláudio Jordão e Nelson Martins ou a longa-metragem “Pecado Fatal” de Luís Diogo. Marcando esta singularidade, este ano o filme de abertura do AVANCA 2016 será também um filme que teve a sua rodagem durante um dos festivais anteriores.
As oficinas de criação fílmica (CREATIVE FILM WORKSHOPS), pretendem ser um embate de criatividade, de experimentação, de explosão narrativa e de apuro técnico, integrando equipas multinacionais que abordam novos projetos na área da ficção, animação, documentário e cinema experimental.

Os workshops decorrem entre 27 e 31 de Julho no AVANCA 2016 e os orientadores vêm da África do Sul, Bélgica, EUA, Jordânia, Rússia e Portugal. São eles:
Evangelos Giovanis (EUA), realizador, produtor, argumentista e ator, o seu filme “Bereave” juntou dois monstros do cinema mundial, Malcolm McDowell (“Laranja Mecânica”) e Jane Seymour (2 Globos de Ouro). Vive em Los Angeles onde, para além do cinema, prepara pugilistas.

François Verster (África do Sul), é hoje um dos mais importantes realizadores do seu país.
Premiado com um EMMY em 2006, o seu documentário “The Dream of Shahrazad” foi premiado no AVANCA 2015 e a sua obra tem sido alvo de várias retrospetivas, a última na prestigiada galeria Jeu de Paume, em Paris (França).

Igor Korablev (Rússia), cineasta invulgar, com uma filmografia surpreendente e muito pessoal, numa inesperada procura da profundidade da alma humana. O surpreendente filme “After the war... Before the war...” foi distinguido no AVANCA 2015.

Thierry Michel (Bélgica), realizador multi-premiado, jornalista e fotógrafo. Das minas de carvão para as prisões, do Brasil e do Magrebe até à África negra, Thierry Michel sempre denunciou nos seus filmes sofrimento dos povos e compartilhou as suas revoltas, às vezes numa mistura de ficção e realidade.

Luís Diogo, argumentista e realizador, a sua primeira longa-metragem foi a mais premiada internacionalmente, em 2014, de entre todas as longas-metragens portuguesas de ficção. “Pecado Fatal” gerou polémica e foi exibido em mais de três dezenas de festivais dos 5 continentes. Foi considerado um dos 10 melhores filmes da Lusofonia em 2014.

Joaquim Pavão, compositor, guitarrista, cineasta. Compôs a música de filmes de Janek Pfeifer, Olga Roriz, Artur Correia, Cláudio Jordão e Patrícia Figueiredo.

Furiosamente tem avançado no cinema como na música. Procura pontes numa expressão própria visível nos documentários, nos projetos de intervenção ou em filmes como “Miragem”.

Mahmoud Hindawi (Jordânia), realizador de animação, terminou um mestrado em animação na University of South Wales (Reino Unido), onde foi distinguido com o prémio para o melhor filme. Estudou, entre outros, com os realizadores Joanna Quinn (Reino Unido) e Mokoto Shinkai (Japão).
Mahmoud é hoje um dos autores mais conceituados do cinema de animação do Médio Oriente.

Raquel Felgueiras, cineasta premiada, estudou Belas Artes no Porto, Lisboa e Bruxelas e fez, com distinção, um Mestrado em Animação na University of the West of England (Reino Unido). Atualmente é Artist Researcher na Universidade do Porto e um dos nomes fundamentais da novíssima geração da animação portuguesa.

CREATIVE FILM WORKSHOPS prefigura-se como um desafio e uma oportunidade. As inscrições estão disponíveis em www.avanca.com

O 20º Festival Internacional de Cinema AVANCA 2016 tem sido um projeto destinado a exibir e a apoiar o ato criativo de cineastas de todo o mundo. Organizado pelo Cine-Clube de Avanca e pelo Município de Estarreja, tem o apoio do ICA / Ministério da Cultura, IPDJ, Região de Turismo do Centro, Junta de Avanca, DeCA / Universidade de Aveiro, Universidade de Coimbra, UTAD, ESAP, ESAD, Academia Portuguesa de Cinema, Agrupamento de Escolas e Paróquia de Avanca, para além de várias entidades locais.