quinta-feira, 5 de abril de 2018

PHOENIX E CHICAGO EXIBEM O NOVO FILME PORTUGUÊS “ UMA VIDA SUBLIME”

O filme “Uma Vida Sublime” de Luís Diogo, terá a sua estreia Internacional no PHOENIX FILM FESTIVAL que tem lugar no Arizona, Estados Unidos da América e que decorre até ao dia 15 deste mês de Abril. O filme é um dos selecionados para a competição WORLD CINEMA que inclui 8 longas-metragens de ficção e documentários, duas delas já premiadas no Festival de Berlim.  “Uma Vida Sublime” será exibido no dia 6, 7 e também no dia 8.

Também no dia 6 e no dia 8, o filme será exibido no CHICAGO LATINO FILM FESTIVAL. O filme é o único representante português desta importante mostra que inclui filmes de todos os países ibero-americanos. O realizador Luís Diogo estará em Chicago para apresentar o filme nas duas sessões.

UMA VIDA SUBLIME é a segunda longa-metragem do cineasta LUÍS DIOGO, que também é autor do argumento original e co-produtor com António Costa Valente.  Produzida em parceria com o Cine-Clube de Avanca e a Filmógrafo, este filme integrou o projeto “Creative Film Workshops” do Festival de Cinema AVANCA.

Em UMA VIDA SUBLIME, sobressai a figura de um inesperado médico que parece recorrer a situações limite na procura da felicidade. O médico encontrou duas curas radicais para a infelicidade: o diagnóstico de cancros terminais falsos e a eliminação temporária de alguns dos 5 sentidos. Terapias inusitadas que parecem ter efeitos secundários imprevisíveis.

O filme foi filmado em Paços de Ferreira, Porto, Monte Córdova (S. Tirso), Castelo Branco e Avanca.

UMA VIDA SUBLIME será igualmente exibido no 22º AVANCA, Festival Internacional de Cinema que decorrerá na última semana de julho na localidade de mesmo nome do Concelho de Estarreja, e onde em 2016 decorreram parte significativa das filmagens desta longa metragem de ficção.

Recorde-se que “Uma Vida Sublime” teve a sua estreia mundial no Fantasporto, onde o ator Eric Da Silva venceu o Prémio de Melhor Ator da Semana dos Realizadores. Neste filme intervêm igualmente os atores Susie Filipe, Rui Oliveira, Paulo Calatré, Waldemar Santos, Mafalda Banquart, Jorge Mota, Jorge Rolla, Tiago Moreira, Ângela Marques, Fernando Soares e Teresa Chaves.

O filme teve apoios dos municípios de Paços de Ferreira e Castelo Branco, da Junta desta última cidade e do Clube de Caçadores e Pescadores de Avanca, entre diversas entidades privadas.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

NUMA ÚLTIMA HOMENAGEM, ARTUR CORREIA RECEBEU POSTUMAMENTE O PRÉMIO CARREIRA DA ACADEMIA DE CINEMA

Cinemateca Portuguesa, Teatro Aveirense e Cine-Teatro de Estarreja exibem os últimos filmes que o cineasta realizou em Avanca

Na Gala dos Prémios SOPHIA , numa homenagem póstuma da Academia Portuguesa de Cinema, o filho de Artur Correia, também ele com igual nome, recebeu o Prémio Carreira que a Academia tinha previsto entregar-lhe pessoalmente.

Numa longa carreira entre a banda desenhada e o cinema de animação, marcada por uma intensa e pioneira entrega aos desenhos, Artur Correia fica indelevelmente ligado a 4 cidades.

Lisboa onde sempre esteve e onde a sua empresa Topefilme produziu uma singular obra no desenho animado português.

Amadora onde foi presença constante, acompanhando ano após ano, o Salão de Banda Desenhada desta cidade, o AMADORA CARTOON.

Espinho, onde igualmente foi presença ano após ano e em cada uma das edições do Cinanima. Este festival homenageou-o por duas vezes. Artur Correia, durante sucessivos anos foi júri deste evento que é o mais significado do cinema de animação na Península Ibérica.

Por último Avanca. Foi aqui que produziu os seus últimos filmes no estúdio do Cine-Clube de Avanca, tendo igualmente passado por várias edições dos Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia.

É neste festival (que este ano comemora a sua edição nº22 em julho próximo), que de forma pioneira a sua obra “História a Passo de Cágado”, foi a primeira série europeia de animação a ser exibida em telemóveis. Aconteceu na edição de 2004 no Festival Internacional de Cinema AVANCA.

Produzidos nos estúdios de animação do Cine-Clube de Avanca, a série de animação “História a Passo de Cágado” e a curta metragem “A Nau Catrineta” vão ser exibidos na noite da próxima quarta-feira dia 4, na sala da Cinemateca Portuguesa em Lisboa, numa justíssima homenagem que esta entidade pública faz a este cineasta.

Também no mês de abril as sessões do Teatro Aveirense, numa organização da Plano Obrigatório e do Município de Aveiro, vão homenagear o cineasta com a exibição de vários episódios da série “Histórias a Passo de Cágado” no início das sessões de cinema de terça-feira.

De igual modo o Cine-Teatro de Estarreja irá exibir episódios desta série produzida em Avanca, em todas as sessões das quintas-feiras, numa organização conjunta do Cine-Clube de Avanca, Cine-Teatro e Município de Estarreja.

Artur Correia (1932 – 2018), cineasta e quase desenhador convulsivo, a sua vasta obra marca de forma indelével vários momentos da história do cinema de animação português. Nos anos 60, foi o primeiro cineasta português distinguido no maior evento de cinema de animação do mundo, o festival de Annecy. Tendo recebido variadíssimas distinções, os seus filmes foram laureados, entre outros, com prémios em Veneza, Cannes, Hollywood, Bilbau, Nova York, Tomar, Lugano e na Argentina e Brasil. A série da animação “O Romance da Raposa” (1988), foi uma marcante adaptação do romance de Aquilino Ribeiro, transformando-se rapidamente num dos maiores sucessos da nossa indústria audiovisual.

Pleno de humor, Artur Correia aliava o seu trabalho na animação com a autoria de ilustrações e de vários álbuns de banda desenhada. Entre eles, a obra de vulto “História Alegre de Portugal” que chegou a ser pensada para adaptar a uma longa metragem de animação nos estudios do Cine-Clube de Avanca.